VER A NOSSA HISTÓRIA
(Clica na imagem)

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Tróia a Sagres - A Rota Vicentina pelo Trilho dos Pescadores (3ª etapa Zambujeira do Mar à Carrapateira)

** Zambujeira do Mar à Carrapateira ( 83 kms)

** Hoje teríamos pela frente a etapa "Rainha" por assim dizer e isto principalmente porque a temperatura que nos esperava hoje rondaria os 45 graus e a maior parte do percurso seria pelas falésias, de uma beleza ímpar mas consequentemente marcada pela presença constante da areia.
** A hora de dar ao pedal seria marcada pelo nascer do sol, como ontem, pelo que tiramos a fotografia da praxe na GNR e nos despedimos para seguir para a praia da Zambujeira. Um bem haja aos nossos heróis que tão bem nos acolheram nas suas instalações.

** O Pimenta já apresentava mazelas no seu corpo carunchoso e ressequido pela areia mas foi prontamente assistido no local pelo nosso mecânico oficial Sérgio.
** Em sintonia com a calmaria da capela da Nossa Senhora do Mar e da praia da Zambujeira.
 ** Passávamos junto da praia para entrar no trilho pedestre junto da ravina, simplesmente sem palavras.
 ** Depois da praia dos Alteirinhos,  um trilho na falésia de cortar a respiração.
 ** A partir daqui ao percurso endurecia cada vez mais, intermitente com bastante areia, não se conseguindo progredir em vários troços a não ser com a bike à mão e o calor já se fazia sentir.
** A descida para a praia do Carvalhal também era bastante técnica, voltando a subir depois com passagem por uma quinta cheia de animais exóticos (zebras, lamas, avestruzes, etc..), com rede eletrificada.
 ** O percurso mantinha a sua dureza e o Silva e o Pimenta, este a queixar-se cada vez mais do joelho, já não estavam com muitas ideias de andar com a bicicleta à mão, muito menos debaixo de calor, pelo que seguiram por estrada até Odeceixe
** Eu, o Pedro e o Sérgio prosseguimos pela aventura selvagem das falésias em direção à Azenha do Mar e Odeceixe, embora eu também já acusasse algum desgaste.
** Aliás o terreno deixava já a suas marcas, tendo partido o meu fixador da aranha do capacete e os míticos sapatos do "Engenheiro" com mais de uma década já davam conta de querer findar.
 ** Passagem pelos singulares acessos à desconhecida e selvagem praia da Amália, local onde a Amália Rodrigues possuía uma casa de férias na falésia.
** Próximos da Azenha do Mar.
** Cerca das 09H00 chegamos à Azenha do Mar e tratamos de abastecer o corpo com o néctar indicado para estes chouriços. O Silva e o Pimenta já se encontravam em Odeceixe, com o Ferreira.
** Trilho ao sair da Azenha e respetiva subida inclinada.

 ** Neste constante sobe e desce e dado o calor abrasador que já se fazia sentir (não corria ponta de vento fresco na costa!) fomos demorando a chegar a Odeceixe, pelo que o resto da malta (Silva e Pimenta) continuou até Aljezur, a fim de preparar o almoço, se bem que o Ferreira nos esperaria em Odeceixe para um ligeiro reforço e reposição de líquidos.
** Chegada à Praia de Odeceixe vista pelas falésias.
 ** O trilho vem ter à Ribeira de Seixe e dá a volta pela ponte que marca a entrada no Algarve, local onde já tínhamos passado na Travessia de Portugal em 2010, contudo é possível atravessar a Ribeira de Ceixe para a praia de Odeceixe.
** Reabastecemos em sólidos e líquidos com o Ferreira, o qual já tinha tratado do local de almoço, o quartel dos Bombeiros de Aljezur, instalações onde também pernoitamos na Travessia, e fomos informados de que o trilho a sair de Odeceixe era quase só areia, pelo que com a canícula que estava, ia ser penoso, facto que vim a comprovar.
** Praia de Odeceixe.
** Posso resumir o trilho seguinte como dos mais penosos que fiz alguma vez na vida: quase só se andava com a bike à mão, sem ponta de sombras e em plena hora do meio-dia, nunca me custou tanto percorrer aquele troço, já me apareciam as cãibras, o Sérgio e o Pedro estavam bem fisicamente, aquele trilho não é para brincadeiras, há pouca rede no telemóvel, ficar sem líquidos ou percorrer sozinho e ter um azar pode custar caro!
** O que sei é quando o mesmo teve saída para um estradão, deitei-me 10 minutos à sombra para refrescar as ideias, o Silva e o Pimenta já nos ligavam constantemente para ver onde andávamos, visto estarmos demorados. Entrou-se numa zona de canaviais e encontramos o nosso oásis.
 ** Em Aljezur, o Silva, o Pimenta e o Ferreira já quase adormeciam de tanto esperar mas o almoço improvisado estava a ser servido, tendo a corporação dos Bombeiros disponibilizado as suas instalações para podermos ter o repasto em tranquilidade e na frescura, mais uma vez um grande bem haja para os nossos heróis.
** No alcatrão deveriam estar uns 45 graus, o Sérgio e o Pedro decidiram continuar pelos trilhos até à Carrapateira (cerca de 20 Kms), eu nem pensar em continuar pois estava literalmente ligado à máquina, era altura de fazer companhia ao Ferreira na carrinha para a deslocação à Pensão das Dunas, na Carrapateira, para começar a tratar das acomodações enquanto a malta não chegava. O Pimenta e o Silva ainda esboçaram uma tentativa de ir por estrada mas rapidamente se juntaram ao grupo agora dos 3 três "corta trilhos".
** Os dois atletas Sérgio e Pedro passaram pela Praia da Arrifana e Vale da Telha e lutaram contra a areia e o calor tropical.
** Os dois mafarricos chegaram pelas 19H00, cansados mas felizes à Pensão das Dunas, na Carrapateira, habitação de turismo local simplesmente espetacular, pela simpatia dos donos, a beleza da sua praia e o sossego.
 ** O que restava dos "bitorinos" do Engenheiro...
 ** Enquanto aguardávamos por eles, o pessoal praticou descanso.
 ** O Sr. Eduardo, o dono, amante do BTT e fazendo parte da direção da Rota Vicentina, confraternizou com estes mafarricos e trocou-se experiências de rotas, caminhos e sensações do percurso até aí, bem como um breve resumo da estória da Rota Vicentina e planos futuros. um bem haja.
** Reservamos  mesa para as 20H30, no sítio do Forno, e escolhemos um arroz de peixe para todos, foi sem espinhas, para depois a malta fazer a caminhada da praxe e tomar um café no largo do Comércio, no centro da Carrapateira.
** Era hora de cada um no seu retiro reviver as emoções fortes deste dia e pintar a sua própria tela. ** Amanhã era a etapa da consagração, a chegada a Sagres, mais uma etapa de cortar a respiração pela sua beleza.

Sousa "Trepador"