VER A NOSSA HISTÓRIA
(Clica na imagem)

quinta-feira, 11 de maio de 2017

NGPS - Etapa de ÓBIDOS (Pelos Trilhos do Lidador)

** A 4a etapa do circuito NGPS realizou-se desta vez em Óbidos, no distrito de Leiria, organizado pelo MOBI (Movimento Maratona de Óbidos), os quais nos prometiam - e cumpriram - uma singela viagem ao passado, com diversas e belas vistas, variados trilhos com muito gozo e adrenalina à mistura.
** A base logística situava-se no complexo desportivo de Óbidos, bem encostado ao imponente Aqueduto romano, com toda a qualidade e espaço necessário para receber os mafarricos destas andanças, com procedência de todos os cantos do país, pois quem corre por gosto não cansa.
** O Pimenta "Saca Saca" e o Sérgio "Fugas" não poderiam faltar a mais um belo dia salutar de convívio, turismo e desporto, metendo-se a fazer uma ida e volta de 570 Kms para picar o ponto em mais uma estrondosa etapa do NGPS de 2017.
** Além do mais sabiam que este seu amigo mafarrico latifundiário os iria presentear com umas magníficas e enérgicas alfaces biológicas, colhidas pela manhã diretamente da minha horta, pelo que já se vinham a salivar pelo caminho.
** Tínhamos dois percurso à escolha, um de 72 Kms e outro de 51 Kms, autênticos rompe-pernas, coincidentes ambos até ao Km 51, em direção ao Atlântico, para depois completar o restante no percurso maior, tendo inicialmente previsto fazer o maior.
** O dia estava brutal e solarengo pelo que demos início ao percurso em direção ao Castelo de Óbidos, com direito a degustação em pela vila histórica de um bolo típico da pastelaria "Capinha".
** Abandonando as muralhas, seguimos em direção à grande mancha florestal mencionada, com os seus típicos estradões rolantes, em direção à Lagoa de Óbidos e ao mar Atlântico.
 ** Após um singletrack brutal (TRILHO DAS MELGAS)
que nos levou a descer para a lagoa, contornando-a, o percurso agora misturava-se com o silêncio regenerador da natureza envolvente.
 ** Aqui os trilhos andavam junto do magnífico e imponente complexo Resort de Golf, para enfim chegarmos ao mar, com trilhos divertidos nas arribas, as vistas aqui (PENICHE e BERLENGAS)e a contemplação falavam por si.
** Isto sem falar do abastecimento ali presente, de bifanas e minis, entre outras verduras, disponíveis para ajudar a repor as energias físicas:
** O regresso a Óbidos fazia-se novamente junto ao Resort, com direito a subir até às eólicas, em estilo rompe pernas, local onde nos esperava um brutal singletrack (TRILHO DOS CARACÓIS).

** Viemos ter a Olho Marinho e tivemos logo ali direito a mais um ponto de água já que o calor apertava...
 ** Para depois chegar à translúcida fonte nascente.
** Seguimos em direção à vila de Óbidos, através dos inúmeros campos e plantações em que este latifundiário tentava reconhecer que iguarias hortícolas e outras se escondiam ali, para depois aquecer com a subida acentuada aos moinhos da Amoreira.
 ** O cansaço e falta de treinos neste betetista já se faziam sentir, as cãibras já me queriam dar uma marretada, nesta altura já tinha decidido que me ficaria pelos 51 Kms, o Pimenta com os seus treinos intensivos agora para Angeiras e pelos Caminhos de Santiago aguentava-se melhor, enquanto que o Sérgio estava fresquinho como uma alface da minha horta.
** Chegados ao ponto de encontro dos dois percursos, próximo ao complexo desportivo, dei por finalizado o meu dia, tendo o merecido banho à minha espera, bem como uma fruta e doces tradicionais, oferta da organização, isto enquanto os meus dois amigos continuaram para completar os restantes 20 Kms.
** Reza a história que o restante percurso ainda foi mais rompe pernas do que o anterior, acabando por dar uma marretada final no Pimenta, tendo o Sérgio desfrutado dos singletracks brutais ali preparados.



** Por fim, enquanto me dediquei a praticar descanso e apreciar o mercado medieval existente junto da base logística da prova, lá avistei os dois mafarricos a chegarem à meta, corpos amassados mas de alma e corações cheios.
** Mais um excelente dia de puro convívio BTT, amizade e de cultura, com paisagens e trilhos de cortar o fôlego, em que temos que dar os parabéns à organização desta Etapa do NGPS pela qualidade, empenho e beleza singular do percurso.
** Quanto a nós, o regresso a casa era o passo seguinte, em sentidos divergentes, apesar de me parecer que tínhamos estado ainda ontem lá pelos nossos quintais na palheta e a percorrer os Caminhos, fruto da grande e já longa amizade que nos une.


Sousa "Trepador"