VER A NOSSA HISTÓRIA
(Clica na imagem)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

ALGARISMO SOCIAL

* Algures não sei onde nem sei quando, no Ministério das Coisas Aéticas,
o manga-de-alpaca apresenta o seu relatório diário de pesquisa e informação.
ABERTURA DO RELATORIO
___03H15. A viúva reformada por invalidez n.º 110569 levantou-se de novo da cama a muito custo e tentou chegar à casa de banho. Sem sucesso, presume-se que o serviço tenha sido feito logo ali no corredor. É expectável a curto prazo que a n.º 110569 fine e que fiquemos sem a sua prestimosa contribuição para combater o estado moribundo deste país. Por outro lado, deixará de consumir os tão necessários custos que advêm da assistência social, nem tudo está perdido.   
___07H45. O professor n.º 00721 segue a sua rotina e lê o jornal no café habitual. Possivelmente em busca de empregos já que estes malandros “qualificados” não querem trabalho mas sim um emprego. Emigrar é que não pensa ele, o bandalho, para dar o seu contributo à nação. Entretanto ligou-lhe a sua esposa, a n.º 93654, a que se encontra a dar aulas em Vila Verde, Braga, a 650 kms de distância, e parece que para o ano é bem capaz de ter que lecionar para as ilhas. Dizem eles que é a paixão pelo ensino que os movem. Pois, pois, conhecer o país de lés-a-lés, do que se queixam eles?
___11H00. A filha de 20 anos da 789, a n.º 49, está a braços com uma grave depressão. Afirma não arranjar emprego, é-lhe penoso sobreviver à custa dos seus pais, sentimento esse que a envergonha. Já tentou o suicídio. O pior é a n.º 49 não poder criar nestas condições a sua filha de dois anos, a n.º 00036, deixando de momento esta tarefa à sua mãe. A depressiva aufere uma pensão de RSI de cerca de 250 euros. Consta-se que ainda teve a lata de solicitar mais apoios a diversos organismos para além do que já lhe é encarecidamente distribuído.


___15H33. A n.º 589362 proclama que, desde que contraiu cancro no útero, e na sua atual situação de desempregada precária, sem quaisquer rendimentos para lutar pelo dia-a-dia dos seus dois filhos menores, os n.ºs 45 e 46, não tem obtido as necessárias e prementes respostas junto das autoridades competentes. Se bem que ciente que não deveria ter contraído involuntariamente tal doença, contribuindo deste modo para agravar o já paupérrimo buraco no Serviço Nacional de Saúde, acha de elementar justiça obter as respostas adequadas para a sua situação. Temos de seguir o caso com cuidado pois a n.º 589362 bufou para a Comunicação Social a sua estória e o assunto requer especial atenção.
___ 19H15. O polícia de giro, o n.º 2014 saiu do seu serviço. Cabisbaixo e pensativo. Consta-se que seu o turno não foi hoje o mais agradável: foi a uma situação de violação de menor. Operacional há já 20 anos, ouviu dizer que o seu corpo, ressequido pela intempérie, marcado por anos de violência e a pedir o merecido e prometido descanso, ainda terá longos anos de paralelo pela frente. A sua crescente contribuição salarial será para o bem da Europa, do seu país e das Finanças Públicas disseram-lhe. De que se queixa ele afinal, com todas as suas mordomias adquiridas? Não é ele mais um perverso e preguiçoso Funcionário Público, responsável por esta crise?
___ 22H53. A n.º 154 e o seu marido, o 155, antigos comerciantes, tentam passar despercebidos na fila da sopa dos pobres. A fila já vai longa e ter uma criança ao colo, a n.º 0027, a sua filha no caso em apreço, não é garantia de quaisquer compaixões. Muitas caras conhecidas, muitas caras novas, sobretudo muitas caras esmagadas e envergonhadas. A presidente da Associação, a n.º 453678, fez questão de salientar que não conseguirão dar respostas a todos os pedidos. Entretanto um Desconhecido soltou um "Viva a Solidariedade", elemento claramente perturbador e potencialmente explosivo. Recomenda-se um reforço da apertada vigilância nestes estranhos locais de convívio.
FECHO DO RELATÓRIO.

Alguns anexos que constam na citada diligência... 

Manuel Sousa

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

O SANTUÁRIO DE FÁTIMA AOS OLHOS DE UMA CRIANÇA.

* Tinha EU mais ou menos 2 anos de idade quando fui com os meus avós maternos ao SANTUÁRIO DE FÁTIMA
* Dessa minha viagem não guardo memória alguma infelizmente.
* Olho agora distante para aquela criança inocente e irrequieta, reparo na mão da sua avó a segurá-lo (para não estragar o esforço do fotógrafo provavelmente), perscruto a figura imponente do seu avô e invade-me profundamente a famigerada saudade.
* Confidencio-vos, foi a primeira e única vez, destes já meus alguns longos anos, que visitei o Santuário. Não voltei a sentir o seu apelo nestes anos todos. Por nenhuma razão em particular. Por todas as razões. Segui simplesmente o meu caminho. E ele não passava por ali.
* Entretanto, a Criança tornou-se num Adolescente. E o Adolescente tornou-se num Homem.
* Até que decorrido o ano de 2013, pleno século XXI, esse Homem resolveu cruzar finalmente o seu caminho com a Nossa Senhora. Inesperadamente, na época estival, fez por lá uma breve passagem, quando se encontrava em trânsito para Sul, e sentiu-se desde logo tocado pela envolvência e paz daquele local, não se quis despedir, antes sim reiterou um até breve.
* Quis cumprir a promessa feita e resolveu aceitar o convite dos amigos do BIK17ECO para realizar uma Peregrinação a Fátima, de bicicleta, no dia 11 e 12 Outubro, isto em duas etapas (Porto - Coimbra/ Coimbra - Fátima), pelos caminhos de Fátima e Santiago.

* Decorridos todos estes anos, o Homem acabou por chegar à conclusão de que, contas feitas, dali nunca se tinha ido realmente embora pois aquela CRIANÇA irrequieta e os seus antepassados afinal sempre o acompanharam pela sua vida fora...

Manuel Sousa.