Visitas

VER A NOSSA HISTÓRIA
(Clica na imagem)

CROMAS:

Ir para a Página desta CROMA Ir para a Página desta CROMA Ir para a Página desta CROMA

Etiquetas

Etiquetas do BIKE17ECO

Serra da Cabreira e uma Crónica diferente...

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012




Qual é a razão para que, 3 bicicleteiros do BIKE17ECO, se levantem às 06h00 da manhã, num frio dia de Inverno, a seguir ao Natal, para irem escalar ao cume da Serra da Cabreira, em Vieira do Minho??


Simples...


___.___
Quando, alegadamente, questionaram George Mallory, por que razão continuava a arriscar a vida (vindo mesmo a perdê-la) para escalar o Monte Everest, a resposta foi minimalista, enigmática e fatalista:
-"Porque ele está lá..."

___.___
 Quando Eu tinha para aí uns 11 ou 12 anos, e ia passar uns dias a casa da minha Avó, situada numa aldeia nas cercanias do Gerês, o que eu mais gostava de fazer era, subir aos montes da zona.
Olhava à volta, escolhia e pronto, “Vou subir àquele”.

Numa ocasião, um familiar perguntou-me que gosto tinha eu em andar a cansar-me a subir e descer montes? Eu encolhendo os ombros dei a resposta óbvia para mim:

-“ Porque Eu gosto”.
___.___
Os amigos do BIKE17ECO, longe da vontade de conquistar a fama e a glória, que Mallory sempre quis. Nem tão pouco de querer conquistar um objectivo ou uma meta, seja ela qual for, continuam a meter-se nestes andanças, pelo gosto dos passeios, pela natureza, pela vontade de superar-se a si próprio e pela companhia.

Pois o objectivo nunca foi o Cume, sempre foi e continuará a ser… 
a viagem.
É assim o BIKE17ECO.

Portanto respondendo à questão inicial, - O que faz com que 3 bicicleteiros do BIKE17ECO, se levantem às 06h00 da manhã, num frio dia de Inverno, para irem subir uma montanha?
Faço minhas as palavras de Mallory, e junto-lhes as minhas próprias:

“Porque ele está lá… e Eu gosto”.




Agora o relato deste passeio:
- 1ª Parte: 25 km sempre a subir, com o meu Pai (Manel Xinateiro), a mandar vir que a subida nunca mais acabava.

- 2ª Parte: 25 km sempre a descer, com o meu Pai (Manel Xinateiro), a mandar vir que a descida nunca mais acabava.


Ah!! E estava um frio de rachar!
Para saber mais, é dar uma vista de olhos às fotos:J.
Nota: O Pedro Trilhos, opta por escrever as suas crónicas com a ortografia antiga.